(Foto: Reprodução)

Achei que um dia eu fosse superar, mas é meio difícil conviver com a dor. A gente até pensa que ela foi embora, porém, quando alguma coisa acontece para provar a superação, percebemos que ela — a dor — continua aqui.
Meu namoro com o Tiago nunca foi mil maravilhas, mas a gente tinha uma ligação forte, era como se pertencêssemos um ao outro. Ou talvez era como eu queria enxergar aquele relacionamento, talvez nem fosse um vínculo tão grande assim. Mas eu me iludia em um namoro perfeito que provavelmente nunca existiu. Quando eu o conheci achei que tivesse achado o homem da minha vida, com H maiúsculo. Mas estava errada.
Ele não me tratava mal, se é isso que você quer saber. Era um bom namorado, ia na minha casa aos domingos, batia o maior papo com o meu pai, dava flores para a minha mãe no dia das mães, me dava chocolate no dia dos namorados — Ferreiro Rocher, o meu favorito — era o namorado perfeito pra quem via de fora. Eu só queria amor carinho e atenção, mas ele não podia me dar. Ou não mais.
No começo do nosso relacionamento ele me abraçava forte e dizia que estaria sempre ao meu lado, me dava beijos na testa, que faziam eu me sentir protegida. Andava de mãos dadas comigo no parque, beijava a minha mão e dizia solenemente — A senhorita pode me dar a honra desta dança? — sorria após e eu gostava dessa brincadeira de época, me divertia à beça. 
Mas pouco tempo depois ele simplesmente se desinteressou por mim, acho que nessa época ele já tinha conhecido outro alguém. Daí em diante você já sabe, né? Acabou os beijos românticos, a proteção, o carinho, o cuidado, os pedidos inusitados, a paixão. Eu sabia que algo estava errado, mas me recusava a acreditar. Na minha cabeça aquilo era apenas uma fase ruim, todos os casais passam por maus momentos, não passam? 
Eu gostava mesmo era de estar com ele na frente dos meus pais ou dos nossos amigos, pois na frente deles ele ainda continuava me tratando como uma princesa. Porém, quando eles não estavam por perto ele sempre estava ocupado demais para perder seu precioso tempo comigo.
Tentei conversar com ele para entender o que estava acontecendo. Mas a resposta era a sempre a mesma — Eu estou normal, você que está estranha. Vive desconfiando de mim, apenas estou ocupado demais para as suas paranoias — por um tempo eu realmente achei que estava ficando louca e paranoica, mas, a verdade é que quando as pessoas escondem coisas, elas preferem por a culpa de toda aquela situação nas outras pessoas que assumir os próprios erros. Culpada por insistir naquele assunto e talvez realmente estar me portando como uma louca, parei de questionar os motivos da mudança dele. Eu sabia que tinha alguma coisa errada, mas nós já estávamos tão distantes, não precisava acrescentar brigas.
Depois de um longo tempo remoendo toda aquela tristeza resolvi novamente tentar conversar com ele, mas dessa vez nos meus horários, não nos dele. Fui a casa dele e não precisei chegar tão perto para sentir o baque de uma traição. Quando cheguei na rua dele, seu carro estava estacionado em frente ao portão da garagem, achei isso um ótimo sinal, em casa eu o encontraria. Antes não o tivesse encontrado.
Me aproximei um pouco e vi que ele estava dentro do carro de costas pra mim, mas não estava sozinho, tinha uma garota com ele. Os dois estavam apenas conversando e sorrindo, eu acho. Me aproximei mais para ver se eu conhecia a garota e sim eu a conhecia, muito bem por sinal. Era apenas a Erica, minha melhor amiga desde ... sempre. Comecei a alimentar várias falsas esperanças de que talvez ele estava estranho porque preparava uma surpresa para mim e ela estava ajudando. Mas, poucos estantes depois eles começaram a se beijar. Eram aqueles mesmos beijos que ele me dava no começo do namoro.
Comecei a olhar para os lados sem saber o que fazer, olhei novamente para ter certeza de que não estava louca como o Tiago dizia e apenas chorei como uma criança. Devo ter ficado vendo aquela cena por um ou dois minutos, até tomar coragem e me aproximar o suficiente para tirar toda essa história a limpo com eles. Como você pode bem imaginar, eles fizeram a maior cena. Proclamaram aquela típica frase clichê — Não é nada disso que você está pensando — claro que não, porque eles realmente achavam que eu sou trouxa o suficiente pra cair nessa.
Não quis ficar para ouvir as desculpas, apesar de ser obrigada a escutar que eles não queriam, que "aconteceu", se apaixonaram. Terminei toda a farsa, resolvi seguir minha vida e deixar o casal a vontade para assumir seu relacionamento, apesar de achar que isso não aconteceria, mas aconteceu. Uma semana após a descoberta, eles assumiram o namoro.
O pior de tudo isso é que eu sinto falta dos dois, porque eu amava eles. De formas diferentes, mas amava. É difícil não ter meu namorado perfeito ao meu lado e minha melhor amiga. Em contra ponto, quando eu vejo eles juntos na Praça na rua de cima do colégio, onde eu ficava com ele, só consigo sentir raiva e dor. Toda a cena sempre volta a tona, apesar de querer me livrar desse fantasma, não consigo. Definitivamente essa é uma história de amor e traição.


Espaço da autora:

Olá chuchus, tudo bom?

Andei sumida né eu sei, resolvi tirar umas férias em janeiro. BUT estou de volta!
Cheia de livros para fazer resenha, textos na mente para ser escritos e muito mais. Apesar de já estar BASTANTE tarde para isso, desejo um 2017 iluminado e abençoado a vocês. Espero que tenham gostado do texto acima, nos vemos no próximo post.

Beijos da Jujuba!



4 Comentários

  1. Muito bom ju,isso tudo é pura realidade da vida.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom ju,isso tudo é pura realidade da vida.

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Texto pesado. Eu nunca descobri nenhum caso de traição, mas tenho certeza de que eu ficaria surtada.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  4. Oi Juh! Te conhecibelo instagram(depois de você curti uma foto minha❤) RS e vim correndo aqui; até que o meu celular descarregou e eu fui obrigada a ir pelo o tat(não gosto de usar) Enfim, Que texto, hein? Amei o seu blog inteeeiro Mas, olha eu sei que o Blog é "diário" de uma Jujuba, mas seja cautelosa! Tente não postar nomes de pessoas, Tudo precisa de uma autorização, e caso contrário poderá complicar muito o seu lado, com um leve processo. Experiência própria!
    Beijo minha Jujuba Linda❤

    ResponderExcluir

Olá galera comentem o que acharam do poste, e não se esqueçam de deixar o link do blog de vocês. Beijos da Jujuba!