(Foto: Reprodução)

Esses dias lembrei de uma coisa que um velho amigo me disse um dia desses. Basicamente olhou nas profundezas dos meus olhos e concluiu que o que mais admirava em mim era o fato de independente do dia e dos acontecimentos, meu sorriso continuava aqui. Recordar esse fato fez questionar a mim mesma o que aconteceu com esse meu eu, em qual esquina da vida se perdeu? Acho que nunca senti tanta falta de mim eu como sinto agora.

Meu sorriso continua aqui, mas é falso. Não sei quando isso começou, mas sei que faz um tempo, meses, talvez anos. Tento me lembrar o que me tornou tão fechada, tão cheia de armaduras mas não me lembro. Talvez tenham sido os relacionamentos frustados, as amizades que nunca realmente foram verdadeiras como eu pensava que eram, talvez não. Posso simplesmente ter me fechado no meu mundo e agora não sei como sair e nem como deixar pessoas entrar.

Procurei verdades absolutas, verdades em construção, verdades de outras pessoas e nem me esforcei para procurar as que seriam de fato minhas. Fugi das mentiras sem nem saber se eram mesmo mentiras. Peguei o que era dos outros e tornei meu, formei uma personalidade, virei uma fantoche. Me moldei ao que eu achei que faria as pessoas terem motivos para ficar, mas mesmo assim elas se foram. No fim, me perdi no meio das minhas certezas e agora nenhuma delas faz sentido. 

Não sei pra onde ir, nem o que pensar. Em quem eu posso confiar? Ninguém mais me parece familiar. Sou uma estranha jogada no mundo sem um porto seguro para se confortar. É estranho pregar tanto o amor próprio e o auto bastar, porém continuar querendo um alguém com quem possa me confortar. Não um alguém amoroso apenas, um alguém amigo que não julgue o que eu tenho a falar. Alguém que eu ouça e que queria me escutar.

Queria voltar a ser leve, como a neve, como meu eu anterior. Mas será que meu eu de antigamente de fato era leve? Ou apenas conseguia fingir melhor as angústias do que meu eu atual? Não sei se um dia essas perguntas vão ser respondidas, mas sei que eu quero a calmaria. Quero me livrar das amarras, repensar meus conceitos morais e buscar a paz. Onde será que ela se esconde? Parece que não gosta muito de mim, é difícil encontra-lá por aqui.


Um Comentário

  1. Oi amore, tudo bem?
    Uaau, você escreve muito bem!
    Parabéns pelo texto!

    Beijos
    Amanda Z.
    www.amandazulai.com.br

    ResponderExcluir

Olá galera comentem o que acharam do poste, e não se esqueçam de deixar o link do blog de vocês. Beijos da Jujuba!